domingo, 3 de março de 2013

Elo entre os livros da Série AWARD

Os quatro livros: "Aparências", "Joia Rara", "Amor e Ódio" e "Vida Nova", formam a série "AWARD".

Cada livro tem sua estória independente e pode ser entendido sem que o anterior tenha sido lido. Contudo, para o melhor aproveitamento da série, recomenda-se que:
- o livro Joia Rara seja lido antes do livro Amor e Ódio; e
- o livro Vida Nova seja lido por último.

As sequências mais indicadas para leitura são:
- Joia Rara / Amor e Ódio / Aparências / Vida Nova; ou
- Aparências / Joia Rara / Amor e Ódio / Vida Nova.


O que forma a série é uma "estória por trás das estórias" entre os protagonistas, que se inicia no final do livro Joia Rara, continua no livro Amor e Ódio e termina no livro Vida Nova, o último da série. Quem ler todos os livros, perceberá claramente que se trata de uma série, porém todas as quatro estórias são independentes e podem ser lidas e entendidas isoladamente.

O chart abaixo descreve o elo entre as quatro estórias:


quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Ler é bom

Tem gente que diz que ler é chato. Na verdade, não é "ler" que é chato. O que é chato é "ler livro chato". Quando o livro é bom, sua leitura é agradável, e nem percebemos o tempo passar.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Para Novos Autores


A)  INTRODUÇÃO

O objetivo deste artigo é mostrar, resumidamente, um pouco do que aprendi no início de minhas atividades como escritor, que espero poder ser de alguma utilidade para novos autores ou para pessoas que estejam pensando em ingressar no mundo literário.

B)  REGISTRO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL

Uma vez que o texto original esteja concluído, é importante que se registre a propriedade intelectual antes de enviá-lo a terceiros, mesmo que os terceiros sejam de sua total confiança. Nunca se sabe quando um texto pode ser extraviado e eventualmente registrado por outra pessoa, que passará a ter todos os direitos sobre ele.

Para saber como registrar um texto, consulte o site da Fundação Biblioteca Nacional, do Ministério da Educação e Cultura, onde estará descrito o formulário a ser preenchido, a taxa a ser paga em qualquer agência do Banco do Brasil, e onde e em que formato entregar seus originais para o registro. Um registro preliminar lhe será entregue no momento da entrega dos originais, e um registro definitivo será enviado posteriormente pelo correio para o endereço especificado no formulário.

C)  ENVIO DE ORIGINAIS PARA EDITORAS COMERCIAIS

Uma vez com o original registrado, pode-se começar a enviá-lo para as editoras. Infelizmente para o autor, não existe um método padrão adotado por todas as editoras para recebimento de originais. Algumas editoras solicitam que o texto original lhes seja encaminhado em formato eletrônico (PDF ou WORD), enquanto que outras somente aceitam originais impressos. Algumas editoras solicitam apenas o texto, enquanto que outras exigem as mais variadas informações, como sinopse da obra, resumo da obra, currículo do autor, etc. O autor deverá entrar em contato com cada editora para saber o método a ser utilizado.

O tratamento dado aos originais também varia de editora para editora. Algumas editoras indicam um tempo médio para dar o retorno ao autor se seu livro será aceito ou não. Outras simplesmente dizem que se não houver retorno após certo tempo é porque não houve o interesse por parte deles. Outras não dizem nada, nem mesmo se receberam o original. É necessário persistência e paciência para vencer nessa área.

Caso o original de um autor seja aceito por uma dessas editoras, ele não terá nenhum custo para que seu livro seja publicado. Todos os custos ocorrerão por conta da editora. A distribuição dos livros e colocação nas livrarias também ficará por conta da editora. Nesse caso, o autor receberá 10% do preço de capa do livro para cada exemplar vendido, normalmente pago trimestralmente.

D)  EDITORAS ALTERNATIVAS

Autores iniciantes sofrem uma grande concorrência e têm muita dificuldade de serem aceitos pelas editoras comerciais de primeira linha. Como alternativa, pode-se recorrer a editoras de serviço, que publicam livros sob medida, de acordo a especificações acordadas com o autor. Nesse caso, o custo de edição, diagramação, capa, impressão, distribuição, propaganda, etc., fica todo por conta do autor.

Vários parâmetros vão determinar o custo da produção do livro, sendo os principais:

a) O tamanho da página: Por exemplo, livros no formato 14 x 21cm serão mais baratos do que no formato 16 x 23cm;

b) A quantidade de páginas do livro: Quanto mais grosso o livro, mas caro ele será;

c) O tipo e a gramatura do papel utilizado no miolo do livro: Quanto mais grossa a folha, mais caro o papel. Existem papeis de diversos tipos e gramaturas. Os papéis brancos cansam mais a vista ao ler e tendem a ser mais baratos. Os papeis amarelados normalmente são mais caros;

d) O tipo de capa: O desenvolvimento da capa em si tem um custo maior ou menor, dependendo da exigência do autor. A gramatura do papel utilizado para a capa influi no custo. A capa fosca é mais cara que a brilhante. A capa com orelhas tem um custo maior;

e) O tamanho da edição: Quanto mais livros impressos, maior será o custo total, mas menor será o custo unitário. Isso se torna importante na definição do preço que o livro será colocado no mercado. Uma pequena edição para reduzir o custo total, pode fazer com que o custo unitário seja tão alto que inviabilize sua venda no mercado.

Uma vez pronto o livro feito nessa modalidade, algumas editoras oferecem a inclusão dos mesmos nos sites das grandes livrarias. Um livro feito nessa modalidade NÃO será incluído fisicamente nas livrarias, a menos que o próprio autor consiga isso por sua conta. Todo o esforço de distribuição e venda ficará por conta do autor. As editoras de serviço e as livrarias apenas deixarão o livro nos seus respectivos sites.

Quando o próprio autor vender um livro feito nessa modalidade, ele ficará com 100% do valor arrecadado com a venda. Caso a venda seja feita pelo site da editora, é comum que a editora fique com 30% e o autor com 70% do preço de capa. Quando a venda é feita pelo site de uma livraria, o autor fica com apenas 30% do preço de capa do livro, e os outros 70% são divididos entre a editora e a livraria. Ou seja, se o custo unitário de um livro for R$10,00, ele terá que ser vendido a R$33,00 para que o autor não receba nada pela sua criação e apenas receba de volta os R$10,00 que pagou para a editora.

E)      CONCLUSÃO

Iniciar uma carreira como escritor, é como abrir um negócio. No início é só investimento, e dificilmente se conseguirá recuperar o dinheiro investido em curto prazo. É necessário estar preparado para ter outra fonte de renda para poder financiar seus próprios livros, enquanto se aguarda pela avaliação e eventual aceitação dos seus textos por uma editora comercial. 

sábado, 18 de agosto de 2012

Por que existem poucos escritores nacionais

Ao entrarmos em uma livraria, encontramos um percentual maior de literatura estrangeira do que de literatura nacional. Querem saber por que isso ocorre?

Existem enormes filas nas grandes editoras para análise de originais produzidos por autores nacionais, fazendo com que os mesmos tenham que aguardar por meses ou até anos para obterem uma resposta se os seus livros serão aceitos ou não. Telefonei recentemente para uma grande editora e fui informado que, devido ao acúmulo de originais recebidos por eles até aquela data, não estariam recebendo novos originais para avaliação por aproximadamente dois anos!

Agora suponhamos, por um instante, que um bom autor nacional tenha seu livro escolhido para ser publicado por uma grande editora. Nesse caso, o autor receberá 10% do preço de capa para cada exemplar vendido do livro. Acharam isso um absurdo? Pois essa é a parte boa.

Enquanto autores nacionais não são aceitos pelas grandes editoras, a única opção que lhes resta para lançarem seus livros, é investirem do próprio bolso. Nesse caso, a dificuldade passa a ser "colocar os livros no mercado". Autores nacionais que tenham financiado seus próprios livros, praticamente não tem nenhuma chance de colocarem seus livros à venda "fisicamente" nas livrarias. Resta-lhes apenas a opção de terem seus livros "escondidos" nos sites de algumas livrarias, e rezarem para que algum internauta faça uma consulta que resulte em mostrar a capa de seus livros na tela do computador, de forma a despertar o interesse do internauta pela compra. Ainda assim, mesmo o autor tendo financiado 100% do seu livro, ele ficará com apenas 30% do preço de capa para cada exemplar vendido pelos sites das livrarias, tornando seu trabalho financeiramente inviável.

Será que só eu estou vendo alguma coisa errada nisso tudo? Onde está o incentivo à cultura em nosso país?